terça-feira, 15 de dezembro de 2009

"As strong as you are"



"“As strong as you are, tender you go, I’m watching you breathing for the last time, a song from you heart, but when it is quiet, I know what it means, and I’ll carry you home, I’ll carry you home”

Essa tem sido a música tema da minha vida desde 2007. Duas experiências traumatizantes, duas perdas, dois pedaços de mim arrancados.

Perdi dois pais, dois mestres em 2007, os dois eram irmãos do meu pai. Minhas idas à psicóloga estão me mostrando que essas perdas que podem ter desencadeado alguns problemas em mim, como a depressão e a mania de morte(para mim, a morte é a solução para tudo).

Quem já perdeu alguém próximo sabe o tamanho da minha dor, ou não. Como se perder dois pais já não fosse o bastante, perdi também uma prima minha que teve que se mudar pra milhares de quilômetros daqui, ela foi morar com a mãe, na Europa. Ninguém sabe o tanto que ela significava pra mim, ninguém nunca vai poder compreender, acho que nem uma irmã se sentiria assim. A única forma de mantermos contato, é pelo telefone, mas em 2 anos, ela nunca me ligou, liguei pra ela 2 vezes, mas fui traumatizada pela indiferença dela, só respondia a perguntas objetivas, como um robô faria.

Uma irmã longe, dois pais mortos.

Isso me fez perder o sentido da vida, afinal, uma hora a gente tem que morrer, nada dura pra sempre, e todos aqueles outros clichês, são realmente verdadeiros.

Afinal, se tanta gente fala, é porque deve ser verdade."


Fiz esse texto dia 11 de outubro desse ano. Vejo agora o efeito da psicóloga. Não tenho mais vontade de morrer, não agora. Em meus momentos de “lucidez” tudo faz a vida parecer tão linda e normal. Mas quando a bipolaridade chega, só consigo me lembrar das coisas ruins, penso em mil motivos pra morrer e nenhum pra viver.

Eu me auto-diagnostiquei com bipolaridade, comecei a freqüentar a psicóloga só pra confirmar. Dá pra perceber que em uma situação normal, ela me diagnosticaria como bipolar, mas pelo fato do auto-diagnostico, ela tenta encontrar razões pra isso não ser bipolaridade. Meu auto-diagnóstico se deve à minha maturidade precoce, disso eu sei há um tempo, antes de começar a visita-la semanalmente.


"E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais."

Um comentário:

Shampoo Azul disse...

Oiii!
Menina, vc escreve e se expressa muito bem hein? Andei lendo alguns posts e todos são bons.

Que bom que vc melhorou!!!! :)

beijos

vou seguir ok?